Onde aproveitar as noites na Europa – Parte 1

Nossa amiga Bruna Bechlin, do blog Europa em Dupla, divide as experiências de seu mochilão pela Europa, com foco nos melhores bares, pubs e baladas por onde passaram. Nesta primeira parte: Budapeste, Londres, Dublin e Inverness.

Veja também as dicas dela para Paris, Barcelona, Edimburgo e Liverpool.

Estamos viajando por aproximadamente três meses, e mesmo que a gente tentasse evitar as festas – e meio que tentamos – tivemos que sair durante a noite para conhecer a cidade e aproveitar a vida noturna… que ruim, né? Entre pubs e clubs, karaokês e festivais, aqui está a lista das cidades onde foi divertido sair à noite.

Os ‘ruin bars’ de Budapeste – Szimpla

Mal chegamos à capital da Hungria e percebemos que ela vive de festa, principalmente durante o verão. Tanto que logo após fazer check-in no hostel fomos direto ao Szimpla, um bar/clube com vários ambientes onde é possível tanto conversar e tomar bons drinks, quanto dançar a noite toda – ou até as 4h da manhã, quando tudo começa a fechar.

Szimpla é um dos bares mais agradáveis que passamos na Europa e é possível ver no site por quê: além da decoração alternativa (característica dos bares em ruínas de Budapeste), a marca é conhecida por outros “produtos”, e o pessoal se empenha pra oferecer uma boa programação.

O bar tem dois andares – no térreo tem uma parte coberta e outra ao ar livre, e no primeiro andar existem várias salinhas private, se você tem um grupo grande e não quer se juntar com o resto da galera, ou para uma conversa particular!

Veja opções de hostels em Budapeste.

 


Like a V.I.P em Londres – Movida Club

De Ruin Pubs ao total glam! Passamos dez dias em Londres e tínhamos que sair pela cidade. Minha irmã queria conhecer o príncipe Harry de qualquer jeito – e se você também quer a dica é ir ao Infernos, pois li num blog que Vossa Alteza passa por lá algumas noites) – e eu só queria conhecer alguma balada, de preferência free ou muito barata. Acabamos indo ao Movida Club, uma das baladas mais caras de London.

Como nós, num mochilão, tínhamos dinheiro pra gastar numa das baladas mais caras de Londres? Não tínhamos, era uma festa de despedida desse amigo do meu amigo, e ele reservou um espaço V.I.P. Primeiro: WOW! A gente entrou sem ficar na fila (sabe coisa de filme, quando o segurança abre uma portinha pra algumas pessoas entrarem?). Segundo: ficamos na área VIP, uma lindeza pra quem pode pagar – ou é convidado! Muita bebida de graça e eles te tratam realmente bem!

Só conhecemos por uma noite e foi muito divertido e eu iria de novo se tivesse entrada free (titia aqui descobriu como conseguir e vai dizer pra vocês: mande um e-mail para lists@movida-london.com informando o dia e nome inteiro de todas as pessoas que vão ao club e vocês estarão na ‘in-house list’ – depois  conte pra nós se deu certo!).

Entretanto, lendo várias reviews em sites de baladas, descobri que o importante lá é ter muito dinheiro, e se você não tem, talvez não seja tão bem tratado. É um lugar bastante frequentado por famosos, o ambiente é demais, as pessoas são lindas e muito bem vestidas, mas, se não é isso o que te agrada num clube, talvez seja bom encontrar outro lugar!

Ah, e se você como eu nunca foi a um clube desse tipo, fique sabendo: é legal dar ‘gorjeta’ ao usar o banheiro e qulquer das coisas que eles oferecem lá (os produtos vão de chicletes a umas esborrifadas de perfume ou retoque da maquiagem – não sei o que vem no dos meninos, hehe).

Veja opções de hostels em Londres.

 

Noite de diversão e karaokê em Inverness

Durante um tour de dois dias pelas Highlands ficamos uma noite em Inverness, uma pequena cidade no centro da Escócia – ou seja, longe de tudo. Como ela está no caminho dos lugares mais difíceis de chegar na Escócia (como as Highlands, o Loch Ness, as Skyes Islands etc.) e é muito fácil fazer tours de um dia saindo da cidade, as pessoas geralmente param ali por uma noite, pelo menos.

Por atrair turistas, jovens (física ou mentalmente) e pessoas que gostam de festas, a cidade possui alguns bares e clubes. Então basta sair pelas ruas do centro – que é relativamente pequeno – encontrar algum lugar que pareça divertido e se preparar pra conhecer muitas pessoas e, se você tiver sorte como nós, se divertir no karaokê.

Durante a noite que passamos pela cidade, fomos a esse bar localizado na avenida principal, e depois de algumas cervejas, decidimos nos jogar no karaokê, mas é importante lembrar que as músicas são em inglês, o que é muito bom pra quem tem o idioma na ponta da língua, ou está muito bêbado pra ligar pra isso! Cantamos Dancing Queen, Bohemian Rapsody, Wonderwall e muito mais, com as outras pessoas (é, não dá pra monopolizar o microfone).

Veja opções de hostels em Inverness.

 

Música tradicional e Guinness: bem-vindo a Dublin – The Quays

Num país como a Irlanda, onde a chuva é a maior certeza, os pubs são as melhores festas. Não! Não vá para os clubs! Experimente a cerveja, que é orgulho nacional, ao som de ‘Molly Malone’, ‘Galway Girl’ e muitas outras músicas que todos ao seu redor estarão cantando. Dá até pra arriscar um ‘E-ah-E-ah-Ê’ enquanto os dubliners estiverem empolgados com a trilha sonora de ‘P.S. Eu Te Amo’.

Quem tá a fim de xavecar os locais está no lugar errado. Nos pubs, o xaveco maior é com a cerveja. E, qual é a preferida dos Irlandeses? A Guinness, claro! O rótulo da cerveja carrega uma harpa, mas não se deixe enganar, esse é um símbolo do país, ok? Mas, mesmo sem a paquera, as noites são sempre divertidas, uma vez que os pubs sempre tem música ao vivo. E, quem precisa de mais diversão quando se tem músicas tradicionais cantadas por músicos locais? É uma experiência única na vida!

Passamos duas noites no The Quays, um dos melhores pubs de Dublin. As pessoas estão sempre alegres (if you know what I mean…) e as músicas são boas pra dançar. Prepare-se para pagar em dinheiro, ou comprar muita bebida se quiser pagar no cartão – infelizmente eles não possuem um sistema para pagar no fim da noite, e só aceitam cartão para despesas de mais de 10 euros. Outra coisa importante: os pubs começam a não aceitar entradas às 2am. Dica: saia de casa cedo, avalie alguns lugares e decida onde ficar pelo resto da noite até à 1h; depois disso permaneça no pub até a hora que quiser ir embora, ou vai ter que voltar pra casa mais cedo.

O pub mais famoso é o Temple Bar, mas ele estava sempre cheio e nós gostamos de espaço, fomos pra conhecer, mas preferimos ficar em lugares menos cheios.

Outro pub que fomos foi o Olliver, também muito bom! No primeiro piso tem uma pista de dança, com músicas para todos os gostos, no segundo andar é um bar, com música ao vivo e é um ótimo ambiente para conversar com os amigos e tomar cerveja e, no térreo tem um espaço para os fumantes e fumantes passivos, que querem se enturmar – quem nunca?

Veja opções de hostels em Dublin.

 

…continua… 

 

Gostou? Leia também:

 

Um agradecimento especial pela foto do flickr para xxnu e MonstersAndCritics. As demais fotos são da Bruna.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *